7.15.2017

Filme que nos dá vontade de escrever

Jim Jarmusch



trailer de Paterson (2016)



Filme que nos dá vontade de escrever, como assumir que é bom não poder prender a Magia que existe no vento luminoso do jardim que respira quando olhas para toda a vida que se solta dele, é demasiado potencial na natureza.

Filme que nos dá vontade de escrever, falar de tanta tecnologia faz parte dos nossos gestos quotidianos: telemóvel, escova de dentes eléctrica, máquina de cortar a barba, microondas, máquina de café, automóvel e continua, continua como dizendo que 'é bom viver sem máquinas' só porque elas existem.

Filme que nos dá vontade de escrever, não sei se pela energia boa que transporta, se por ter surgido num dia com vontade de iniciar de que foi continuação, PATERSON tinha como qualidade especial ser de Jim Jarmusch e isso dar grau pela forma de olhar e nos fazer olhar para as coisas.

Filme que nos dá vontade de escrever, Jarmusch é conhecido por ser um autentico representante do cinema independente e dava garantias de bom cinema, falar de cada personagem é talvez arriscado mas O risco é bom! O filme não seria tão bom sem uma destas personagens, pormenores! Engraçado e por descobrir a forma como vão surgindo gémeos ao longo do filme; conversas entre passageiros características engraçadas.

Paterson: é pelos olhos dele que vemos o filme, muito discreto, com gestos rotinados e habituais que dão através das suas cores, tons, texturas, sons e mudanças um aproximar que nos faz sentir parte do filme. O nome do personagem principal é igual ao da cidade: Paterson!
Paterson trabalha como motorista de autocarro na cidade de Paterson, em Nova Jérsia (EUA). A sua rotina diária é sempre igual: acorda exactamente à mesma hora, vai trabalhar, regressa para os braços de Laura, a namorada, passeia Marvin, o cão, bebe uma única cerveja no bar de um amigo e escreve poesia, não necessariamente por esta ordem. A sua vida é tranquila e a sua existência discreta. Paterson está apaixonado por Laura e ela por ele. Ele apoia os sonhos e projectos mais arrojados da namorada; ela incentiva-o e inspira-o na escrita dos seus poemas. É assim todos os dias.

Laura - é a namorada de Paterson sempre com projectos muito fora, novos e arrojados, é a estabilidade dele. Estilo branco e preto em tudo, alguém que o incentiva a escrever: entre a solidez e o abismo é o acordar certo!

Nelie - é um cão actor (!?), tem gestos muito expressivos como o hmmm... de cada vez que os donos dão um beijo ou o salto contra a caixa de correio na entrada ou a forma como se deita esperando pelo dono à entrada do bar, é um actor essencial.

Doc - é o dono e barman de onde Paterson vai diariamente, tem nas costas uma parede com personagens tipo de paterson em permanente construção, joga xadrez consigo próprio.

Marie - Everett: são um casal a terminar, ela a querer ver-se livre dele e ele a precisar dela para viver melhor. Todos os dias Everett acha que têm de conversar muito a sério. Ponto alto quando ele aparece com uma pistola a tentar matá-la primeiro e depois a suicidar-se.

Donny - é o pessimista tipo a quem tudo de mau acontece, é um funcionário que vêm todos os dias bater à porta do autocarro de Paterson e ver se está tudo bem.

Sem comentários: