7.20.2017

Querido recém chegado ao mundo,

Releio a carta que te escrevi e há sempre, felizmente, coisas novas em que falar.

Bem vindo sejas e parabéns pelo inicio dessa caminhada, que a caminhada continue forte e a sorrir-te, descontrai e busca optimismo em tudo porque é uma maneira de a estrada te sorrir, ser melhor. Para cada coisa pior, haverá sempre mais que uma melhores, constrói bons alicerces, um bom ninho, com família e amigos onde ergues teu ser.

Saboreia, deixa a comida dar-te prazer, gosto, descer por ti abaixo a refrescar-te, tornar-se em ti, dá-te tempo para seres melhor.

Como podemos nós, todos, melhorar o mundo para nós e para elas/eles que estavam na barriga!?

Sinto-me pequenino mas acredito que somos agentes numa mesma sociedade e todos queremos que tudo funcione pelo melhor para todos, farei/façamos por isso; respeitar quem sou/és/somos e cada espaço conjunto...

O que é que achamos realmente importante na vida, ou alguma coisa de que nunca ninguém nos avisou e agora já sabemos? Para as novas pessoas que nascem e crescem?

Não sei bem como responder a essa pergunta, é com cada um encontrar respostas para preencher as perguntas que a vida lhe faz e é contigo achares o que queres fazer na vida, é tua responsabilidade e não há poucas coisas para te surpreenderes com elas. Nem duas vidas davam para tanto, para tudo!

Tenho a sensação de já ter vividas várias vidas na mesma, há pessoas que estiveram sempre lá mas mesmo elas vão mudando ou o teu olhar para elas.

Mas coisas importantes para mim são ter um lar onde estás seguro e sabe bem voltar, ter desafios giros para vencer, desafios à nossa altura e encontrares gente em quem confiar, gente amiga que te protege/defende, onde te acolheres e recolheres, criares teu ninho. Confiar na viagem em cada recta, curva, subida e/ou descida e tirar dela segurança/confiança para novos voos. É bom não sabermos como será o futuro, toda a gente gosta de surpresas e se soubéssemos tudo era uma pasmaceira. Ter consciência que vais ter quebras, momentos piores mas elas fazem parte da vida e vais reerguer-te mais forte.

Gosto de me sentir bem vindo, de receber sorrisos, todos gostamos de nos sentir bem vindos, logo, faz os outros sentir-se bem vindos e sorri muito.

Tenho alguma dificuldade em destrinçar o Eu e o Nós, a maior parte do tempo sou eu pequeno mas também há fases em que talvez, por isso mesmo, por me sentir pequeno e querer ser maior, me descentro de mim e centro nos outros.

A vida é muito divertida e surpreende sempre, nunca sabes por muito organizado que sejas o que e como vai acontecer; podes controlar-te a ti e mesmo isso é, por vezes, complicado.

Aproveita e desfruta tanta surpresa e esse privilégio: o enorme monte de pequenas células, organismos, vida que fazem parte de cada movimento teu a cada momento, é incrível.

Que é importante saber é que tens de estar cá contente não só por ti (o Eu dá muito trabalho liberta-te e solta-te dele; pode ser maravilhoso quando consegues dedicar-te aos outros) mas também porque a vida o melhor que nós temos e é um privilégio, não um direito. Aproveitar as quedas para falhar melhor e reconstruir os joelhos feridos. E se não tens arte para ser artista em nenhuma das sete artes, serás espectador de todas, o melhor espectador já existente. Comunicar pode ser uma arte e viajar pode ser feito sem saíres do sitio, mas viaja muito em tua imaginação e criatividade.

E é importante seres verdadeiro/sério contigo e com os outros porque fazer de conta tem piada quando é raro e uma vez por outra; quando é constante fazer de conta deixas de ser alguma coisa concreta e torna-se complicado contar/confiar em ti!

É contigo fazeres arte da tua vida, pintar as cores mais garridas, tocar e cantar os sons mais animados quando queres festejar mas também tens direito a cores mais soturnas, cinzentas, negras e sombrias quando estiveres mais em baixo... o arco íris e a vida são imensas, desfruta-o em todo o seu formato. Arte musical também: com instrumentos clássicos, voz, mais rap, rock and roll, fado, música de todo o mundo e dança, aproveita o teu corpo e sua mobilidade, esculpe nem que seja à beira mar formas nunca inventadas, a arquitectura e o espaço podem potenciar vivermos melhor, repara hoje e aqui como estamos todos mais leves e a poesia, a escrita, pode ser parte de ti se quiseres e fizeres por isso.

Apertando as mãos sempre a olhar nos olhos sério e sorrindo, há uma confiança/segurança na vida que quero dar/passar, posso ter dúvidas e até é bom que as tenha, se fosse fácil o jogo da vida não tinha grande piada, ninguém gosta de jogos fáceis.

À maior dificuldade dar sempre o maior sorriso para a assustar.

Dando abraços ternurentos e carinhosos apertados.

Ter sempre o desafio de tornar o dia de 'Amanhã melhor'; sendo que o amanhã passa por cada momento. Se não és melhor é porque não te estás a esforçar... então: coragem e usa bem essa arte de te fazeres melhor e estaremos cá para o ano em outro piquenique.

Põe quanto És no Mínimo que Fazes

Para ser grande, sê inteiro: nada teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
põe quanto és no mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
brilha, porque alta vive

Ricardo Reis, in "Odes" , Heterónimo de Fernando Pessoa

Boas coisas,

um amigo

Sem comentários: